Atualizado em 14/02/2019 às 18h20.

O Ministro da Educação, Ricardo Vélez; Ministro da Justiça, Sergio Moro; da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, e pelo Advogado-Geral da União, André Mendonça e o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, que será peça fundamental na apuração dos fatos, assinaram o protocolo que deu inicio a força-tarefa da Operação Lava-Jato na pasta ministerial do Ministério da Educação (MEC) a partir desta quinta-feira (14), sob exigências do Jair Bolsonaro (PSL).

A Polícia Federal (PF) vai apurar esquemas de corrupção de todas as gestões anteriores da pasta do Ministério da Educação (MEC), principalmente, no Programa Universidade Para Todos (ProUni), Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e no Sistema de Seleção Unificado (Sisu) de todas as suas edições anteriores (até a edição recente dos programas sociais do MEC). De acordo com Vélez Rodríguez, o intuito é ser totalmente transparente para a sociedade. “Queremos apurar todos os desvios praticados por pessoas que usaram o MEC e as suas autarquias como instrumentos para desvios.”, diz em nota.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here