Publicado em 29/08/2022 às 10h – Atualizado em 29/08/2022 às 10h.

Com a baixa adesão, recenseadores do Censo Demográfico 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – hierarquia do Ministério da Economia do Governo Federal – pretendem entrar de greve a partir do dia 01 (quinta-feira).
O Portal Nacional da Educação teve acesso aos grupos de cada Unidade da Federal para acompanhar a mobilização da greve nacional, apenas 5 grupos tiveram mais de 150 pessoas participando. Os demais estados, contém menos de 100 pessoas. A grande parte das capitais brasileiras não tinha nem equipe de liderança (porta-voz).
Questionado pela equipe de reportagem sobre a ausência de liderança e de uma área jurídica para acompanhar a manifestação nacional (tomar decisão jurídica), o líder Lucas (recenseador do IBGE no Estado da Bahia), não soube responder. Apenas se isentou de qualquer responsabilidade, ‘não acredito que ninguém vai ser demitido por parte do IBGE por ir a manifestação [greve], disse o líder geral.
Como qualquer outra categoria, o movimento de qualquer causa precisa se resguardar civilmente e juridicamente para garantir a segurança dos envolvidos.
A União dos Recenseadores não tem perfil oficial no Facebook para convocar a população, por meio de criação de eventos (onde é possível a imprensa acompanhar o engajamento, pessoas confirmadas e outras métricas da rede social). O instagram do movimento já conta com 1.950 mil recenseadores (número bem abaixo do total de recenseadores do Brasil todo (são mais de 180 mil recenseadores contratados).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here