Publicado em 27/12/2022 às 19h18 – Atualizado em 27/12/2022 às 19h18.

A onda de atentados e ameaças de massacres em escolas teve uma escalada digna de nota nos últimos quatro anos, sendo o atentado a uma escola na cidade de Aracruz, Espírito Santo, o crime aconteceu no dia 25 de novembro (sexta-feira).
Só nos últimos três meses, foram realizados três ataques em escolas brasileiras, em Barreira (BA), em Sobral (CE) e em Aracruz (ES). Em um dos casos, a arma pertencia a um policial militar, no outro, a propriedade era registrada como CAC (colecionador, atirador desportivo ou caçador). No caso mais recente, a investigação apontou que o ataque foi planejado por dois anos e por um assassino de 16 anos que estudou até junho no colégio estadual, um dos alvos do massacre em sala de aula.

Onda de violência em ambiente escolar

Entre 2019 e 2022 o Brasil testemunhou ao menos 11 atentados cometidos e 28 ameaças de atentados em escolas públicas e privadas, sendo seis deles com uso de armas de fogo. Outros cinco foram realizados com bombas caseiras, facas e até armas menos convencionais, como uma machadinha. Além dos atentados efetivados, foram feitas pelo menos 28 ameaças de massacres, que chegaram a resultar em interrogatórios, apreensões de armas, suspensão de aulas e provas ou abertura de investigações. Em alguns casos as forças de segurança conseguiram impedir ataques já planejados. Em um colégio particular em Alphaville, na Grande São Paulo, a mensagem escrita na parede de uma instituição era acompanhada por uma suástica, símbolo nazista. Mensagens similares foram encontradas em escolas por todo o Brasil. O ano letivo de 2022 concentra o maior número de ameaças. 
Em paralelo, até agora o governo Bolsonaro editou 19 decretos, 17 portarias, duas resoluções e três instruções normativas, além de dois projetos de lei que flexibilizam as regras de acesso a armas de fogo e munições. Os CACs foram os principais beneficiados com uma série de flexibilizações do Governo Jair Messias Bolsonaro.

Presidente Bolsonaro vetou atendimento de psicólogo e assistente social nas escolas municipais e estaduais:

O presidente da República, Jair Bolsonaro, vetou integralmente o projeto de lei que garantia atendimento por profissionais de psicologia e serviço social aos alunos das escolas públicas de educação básica. O PL 3688/00 foi aprovado em setembro pela Câmara dos Deputados, na forma de um substitutivo elaborado pelo Senado.

Confira o histórico de atentados realizados no último quadriênio e a lista de datas e lugares onde houve ameaça a seguir:

  • 13 de março de 2019 – Suzano (SP): Caso de maior repercussão no país. Depois de matar o dono de uma locadora e roubar um carro, 2 atiradores invadiram a Escola Estadual Raul Brasil e abriram fogo a esmo no horário do intervalo. No colégio, eles mataram 5 estudantes, duas funcionárias da instituição e, logo em seguida, morreram.

  • 21 de agosto de 2019 – Charqueadas (RS): Um jovem invadiu o Instituto Estadual Educacional Assis Chateaubriand, ateou fogo em uma sala de aula e depois golpeou alunos com uma machadinha. Pelo menos seis adolescentes entre 12 e 15 anos foram feridos na ação, sem risco de vida. O agressor foi desarmado por um professor de educação física e conseguiu fugir pulando o muro da escola, depois foi preso e confessou o ataque aos policiais.
  • 07 de novembro de 2019 – Caraí (MG): No pacato distrito de Ponto do Marambaia, pertencente a Caraí, no Vale do Jequitinhonha (MG), um estudante de 17 anos, vestido de preto e armado com uma garrucha e um facão, invadiu a Escola Estadual Orlando Tavares, em que estudava, ateou fogo a mochilas de colegas e investiu atirando contra alunos, ferindo dois deles. O jovem foi apreendido pela polícia.

  • 04 de maio de 2021 – Saudade (SC): Outro caso que causou bastante comoção nacional, o ataque neste caso foi a uma creche. O atentado deixou três crianças e duas funcionárias da escola mortas. Um bebê de 1 ano e 8 meses foi internado. Preso desde 4 de maio de 2021, o responsável pelo atentado está sendo julgado.

  • 22 de fevereiro de 2022 – Caraguatatuba (SP): Na cidade paulista o ataque foi direcionado à diretora da escola e registrado pelas câmeras de segurança da escola estadual Ângelo Barros de Araújo. Após o ataque, a vítima foi socorrida e levada para hospital, enquanto o adolescente de 16 anos foi detido.
  • 22 de março de 2022 – São Paulo (SP): Um aluno esfaqueou uma colega de classe no Colégio Floresta, na Zona Leste de São Paulo. Um outro estudante, que tentou proteger a garota, também ficou ferido. A estudante levou ao menos dez golpes e teve o pulmão perfurado. Ela foi encaminhada ao hospital.  O suspeito pelo ataque foi encontrado na quadra da escola e levado até a delegacia por policiais, que foram acionados.
  • 08 de abril de 2022 – Saquarema (RJ): Uma escola pública do balneário fluminense foi invadida por um rapaz de 14 anos munido de bombas caseiras. Os moradores ouviram barulhos e chamaram a polícia, que encontrou o adolescente no local. Ninguém ficou ferido.
  • 22 de setembro de 2022 – Rio de Janeiro (RJ): Quatro adolescentes da Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes, localizada na Ilha do Governador, foram esfaqueados dentro da instituição. O caso de violência ocorreu na, no Jardim Guanabara, Ilha do Governador, na zona norte do Rio.
  • 05 de outubro de 2022 – Sobral (CE): Um adolescente de 15 anos disparou contra três colegas na Escola Professora Carmosina Ferreira Gomes, localizada no interior do Ceará, atingindo duas vítimas na cabeça e uma na perna. Ele estava com uma arma de fogo registrada no nome de um CAC (colecionador, atirador desportivo e caçador) e foi detido logo após a ação. O estudante Júlio César de Souza Alves, de 15 anos, morreu três dias após o ataque.
  • 25 de novembro de 2022 – Aracruz (ES): O caso aconteceu entre 9h30 e 9h40 desta sexta-feira (25), em duas instituições de Aracruz (ES). O criminoso entrou na escola estadual Primo Bitti e fez vários disparos com uma pistola, matando dois professores. Em seguida, ele foi de carro até o Centro Educacional Praia de Coqueiral, onde matou um aluno. Outras 11 pessoas ficaram feridas. O assassino foi preso.

Confira o histórico de ameaças (não há atentados) realizados no último quadriênio e a lista de datas e lugares onde teve registro de ameaça a seguir:

  • 18 de março de 2019 – Brasília (DF)
  • 21 de março de 2019 – Montes Claros (MG)
  • 21 de maio de 2021 – DF
  • 27 de maio de 2021 – Goiânia (GO)
  • 19 de agosto de 2021 – RN
  • 21 de outubro de 2021 – Maceió (AL)
  • 22 de outubro de 2021 – Dourados (MS)
  • 02 de dezembro de 2021 – Cariacica (ES)
  • 17 de fevereiro de 2022 – Aparecida de Goiânia (GO)
  • 16 de março de 2022 – Umbaúba (SE)
  • 29 de março de 2022 – Linhares (ES)
  • 03 de abril de 2022 – Goiânia (GO)
  • 06 de abril de 2022 – Araguaína (TO)
  • 20 de abril de 2022 – Brasília (DF)
  • 20 de abril de 2022 – Luiziânia (GO)
  • 20 de abril de 2022 – Caxias do Sul (RS)
  • 25 de abril de 2022 – Salvador (BA)
  • 10 de maio de 2022 – Boa Vista (RR)
  • 19 de maio de 2022 – Arapiraca (AL)
  • 13 de junho de 2022 – Itatiaiuçu (MG)
  • 07 de julho de 2022 – Santa Maria (RS)
  • 16 de agosto de 2022 – Santos (SP)
  • 15 de agosto de 2022 – Registro (SP)
  • 19 de agosto de 2022 – Vitória (ES)
  • 15 de setembro de 2022 – Belo Horizonte (MG)
  • 05 de outubro de 2022 – Cuiabá (MT)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here